EUA Aumentam Taxas para Visto de Estudante

As novas taxas entram em vigor no dia 24 de junho de 2019

Foto: South Beach Languages. Campus Hollywood. Janeiro 2019. 

Crédito: Joselina Reis

Leia o texto completo e original em inglês

A partir do dia 24 de junho de 2019 quem planeja estudar nos Estados Unidos vai pagar mais caro pelas taxas de visto de estudante. O Departamento de Segurança Nacional (Department of Homeland Security – DHS) divulgou no último dia 22 de maio que vai aumentar as taxas do visto F1, F2 e demais vistos nas áreas para intercâmbio (Exchange Visitors). As taxas estavam inalteradas desde 2008.

As mudanças são as seguintes: vistos F e M passam de $200 para $350; o visto J passa de $180 para $220. O DHS afirmou ainda que as taxas para o formulário I-901 do Sistema de Informação do Serviço de Estudante e Intercâmbio (Student and Exchange Visitor Information System – SEVIS) continuam em $35. O aumento maior foi para o visto F1, utilizado por estudantes de cursos de inglês e universitários, cerca de 75%.

O aumento maior será para a certificação das escolas. Hoje elas pagam $1700 para conseguir a certificação nacional se quiserem receber estudante estrangeiros interessados em visto de estudante. Com o aumento, o valor passa para $3000, reajuste de 77%.

O DHS explicou que o Serviço para Estudante e Intercambistas (Student and Exchange Visitor Program -SEVP) é mantido exclusivamente com as taxas pagas por alunos internacionais e não recebe verba federal. “Essas taxas não são alteradas desde 2008, enquanto isso os custos de manutenção do programa continuam a aumentar devido a inflação, expansão do programa e melhorias tecnológicas do SEVP”, explicou a diretora do programa SEVP, Rachel Canty.

Além do aumento das taxas já mencionado, o SEVP criou novas taxas para as escolas. A partir de agora as escolas que precisarem de recertificação precisam pagar $1250, a outra novidade é a taxa de $675 para escolas que quiseram fazer uma “Nota de Apelo de Decisão” em caso de não serem aprovadas para a certificação e quiserem apelar por uma segunda chance. O DHS também criou uma taxa caso a escola decida mudar de local ou adicionar novo campus, $675.

A nota divulgada pelo DHS informa ainda que estudantes internacionais que já começaram o processo e já pagaram a taxa SEVIS não precisarão pagar a diferença no valor da taxa. Não foram feitas mudanças nos formulários e ou websites onde os estudantes e escolas pagam taxas relacionadas a visto e certificação escolar.

O SEVP é o serviço americano que monitora mais de um milhão de estudantes internacionais com visto F1 e M1, e seus dependes. O departamento é o responsável por garantir que as escolas estejam aptas a receberem alunos internacionais e possam emitir os formulários adequados.

O SEVP também compartilha as informações sobre os estudantes internacionais com outros departamentos do governo americano, tipo Serviço de Cidadania e Imigração (U.S Citizenship and Immigration Services) e Alfândega e Controle de Fronteira (U.S Customs and Border Protection). Em caso de violação das regras do visto de estudante e intercambista, o SEVP comunica à imigração.  

Proibida a reprodução sem citar a fonte do texto e fotos!!!!!!!!!!

Leia o texto completo e original em inglês

Concurso 2019 Premia Cinco Jovens Brasileiros

 

O concurso oferece anualmente bolsas de estudos de cursos de inglês nos Estados Unidos

 

 

O Contest 2019 promovido pela ONG USAHelp4U com patrocínio das escolas Harvest Institute, Lingua Language Center e Mila (Miami International Language Academy) ofereceram ao todo cinco bolsas de estudos de curso de inglês nos Estados Unidos. Mais de 70 pessoas participaram do concurso, sendo a maioria, 53%, formada por mulheres. Os estados com mais participantes foram São Paulo e Minas Gerais, seguidos por Paraná e Rio de Janeiro.

A pesquisa demográfica feito ao final do concurso mostra ainda que a maioria dos participantes, 57% já terminaram de cursar a faculdade e ou estão matriculados em uma universidade.

As bolsas oferecidas pelo Contest 2019 foram as seguintes: Harvest Institute – bolsas em Orlando (FL) e Newark (New Jersey); Lingua Language Center – bolsas em Fort Lauderdale (FL) e Doral (FL), e Mila (Miami International Language Academy) – bolsa em Orlando (FL).

Os vencedores do concurso 2019 foram: Thayná Veríssimo da Silva (Rio de Janeiro), Thais Barros Gomes Da Silva (Rio de Janeiro), Osmar de Oliveira Martins Neto (Ceará), Natasha Drumond Fonteles (Ceará) e Lara Cassol Bainha (São Paulo).

Os ganhadores têm até março de 2020 para usufruir da bolsa. Conheça a abaixo um pouco sobre cada ganhador do Contest 2019.

 

Thayná Veríssimo – A estudante de Engenharia Mecânica da CEFET/RJ planeja fazer a viagem em fevereiro de 2020. Ela ganhou a bolsa oferecida pela Lingua Language Center, em Fort Lauderdale. “As chances de eu fazer o intercâmbio sem a bolsa da USAHelp4U, seriam nulas. Eu e a minha família não teríamos condições financeiras para bancar 100% do intercâmbio”, diz a estudante que planeja ensinar o que aprender durante o intercâmbio na comunidade onde mora.

 

 

 

Thais Barros – A estudante de Engenharia Civil planeja fazer a viagem ainda em 2019. “Eu estava juntando todas as minhas economias desde 2017 para poder realizar esse sonho de fazer um intercâmbio. A bolsa conquistada nesse concurso foi uma benção de Deus para concretização do meu sonho”, afirmou a ganhadora. Ela vai estudar por um mês na Harvest Institute, em Newark, New Jersey. “Se não fosse a bolsa da ONG USAHelp4U com a Harvest, eu demoraria alguns meses ou anos para juntar todo o dinheiro para pagar esse intercâmbio. E na vida tudo acontece uma única vez, logo temos que aproveitar as oportunidades que nos são dadas, por isso me dediquei ao máximo para esse concurso e estou me esforçando ao máximo para aproveitar essa bolsa”, disse entusiasmada.

 

 

 

 

Osmar de Oliveira – “Esse intercâmbio vai me ajudar a aumentar o nível de conhecimento com a língua, aumentando minhas oportunidades de trabalho”, explica o ganhador. Ele vai estudar por um mês na Harvest Institute, em Orlando.

 

 

 

 

 

Natasha Dumond. “Aprimorar meu inglês sempre foi meu objetivo. O inglês é uma língua mundial, e para obter sucesso na minha carreira em Comércio Exterior, eu preciso aprender mais. Além disso, saber falar inglês traz facilidade na hora de comunicar com o mundo todo. É também uma realização pessoal, sempre fui muito esforçada para aprender a língua inglesa”, comenta a estudante cearense. Natasha vai estudar na Mila International, em Orlando.

 

 

 

Lara Bainha – “Os valores de intercambio são muito altos, dificultando as chances de uma viagem. Mas com a ajuda da ONG USAHelp4U esse sonho esta cada vez mais perto de tornar uma realidade”, disse. Lara terminou o ensino médio recentemente e planeja estudar psicologia para trabalhar com crianças e adolescentes. Lara foi a ganhadora da bolsa oferecida pela Lingua Language Center, em Doral, Florida.

 

 

Concurso

Para participar do concurso, aberto somente para brasileiros, o interessado deve preencher um formulário anexado às regras do concurso. O próximo concurso será realizado em dezembro de 2019 e o edital será publicado no www.usahelp4u.com/bolsas de estudos. Outras informações pelo e-mail info@usahelp4u.com e ou nas redes sociais da ONG.

 

Ganhadora do Concurso 2018 já está na Flórida

Jackeline Faco, de Fortaleza, Ceará, já está na Flórida. A brasileira é uma das ganhadoras do concurso 2018 de bolsas de estudos. Ela ganhou a bolsa patrocinada pela escola Lingua Language Center, em Fort Lauderdale, Flórida. O concurso é promovido anualmente pela ong USAHelp4U com patrocínio de escolas de inglês nos Estados Unidos. Na foto, Jackie foi recebida no seu primeiro dia de aula pelos diretores da escola: Angela Lucena e Erwin Richter. Outras informações sobre a ong e o concurso anual pelo website www.usahelp4u.com.

Acompanhe outras fotos da Jackie no Instagram da #USAHelp4U

 

 

 

 

Jackie – Video 1

 

Jackie – Video 2

 

Jackie – Video 3

 

Estados Unidos Precisam de 60 mil Motoristas de Caminhão

A vida pelas estradas não é fácil, mas o salário inicial pode ser de $60 mil dólares (aproximadamente R$220 mil reais por ano*)

texto original

Foto:J.Reis.

A Associação Americana de Motoristas acredita que os Estados Unidos precisam de pelo menos 60 mil motoristas de caminhão para início imediato. A demanda é grande, e autoridades acreditam que em poucos anos este número chegue a 100 mil. Com a baixa procura pelas vagas, empresas americanas estão aumentando os salários e os benefícios como plano de aposentadoria privada (401k), plano de saúde e outros atrativos. O problema com a categoria começou a se agravar com a aposentadoria de centenas de motoristas nascidos entre as décadas de 40 e 60 (os chamados baby boomers) e a falta de incentivo para atrair os mais jovens, mulheres e a comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros).

Pelo menos as mulheres já se organizaram para assumir parte das vagas. A organização Women in Trucking (Mulheres em Caminhão) foi criada há dez anos para incentivar a presença de mulheres atrás do volante dos grandes caminhões que atravessam os 50 estados americanos. A organização está na luta por mais segurança em postos de paradas em território americano para que a profissão possa atrair mais motoristas do sexo feminino.

Enquanto as vagas não são preenchidas, a Associação Americana de Motoristas vê uma crise do setor. “Nos Estados Unidos, o trabalho do motorista de caminhão é essencial para manter o crescimento da indústria e para toda a sociedade”, diz preocupado Todd Spencer, presidente da Associação de Motoristas Independentes. 

Com pouco motoristas dispostos a encarar as rodovias, as empresas estão desesperadas e começam a elevar salários o máximo que podem. Bob Costello, economista da Associação Americana de Motoristas e Gordon Klemp, presidente do Instituto Nacional de Transporte, acreditam que só em 2018, a categoria conseguiu um aumento de 10% no holerite (pay check), mas a categoria quer mais que um bom salário.

Os motoristas podem escolher entre empresas que oferecem mais benefícios. Somente o salário, que geralmente é por quilômetro rodado, não é suficiente. Eles avaliam com cuidado os contratos de trabalho antes de assinarem e preferem aquelas empresas que ofereçam bônus se o motorista indicar um colega para uma vaga e até pagam mensalidade de faculdade online. A próxima exigência da categoria é pagamento pela hora parada nos portos, um problema que muitos enfrentam.

Enquanto isso, as empresas buscam novos funcionários da melhor maneira possível. É muito comum as empresas estamparem anuncio de vagas em seus próprios caminhões.

*câmbio 02/11/2019 – R$3.74

Ganhador do Concurso 2018 já está na Flórida

Matheus Gomes Pereira, de Caruaru, Pernambuco, já está na Flórida. O brasileiro é um dos ganhadores do concurso 2018 de bolsas de estudos. Esta é a primeira vez que ele faz um intercâmbio. O concurso é promovido anualmente pela ong USAHelp4U com patrocínio de escolas de inglês nos Estados Unidos. Na foto, Matheus recebe o certificado oficial de ganhador da bolsa patrocinada pela South Beach Languages, em Hollywood. O diretor Greg Degnan já renovou o patrocínio para o concurso 2020. Matheus vai estudar todo o mês de fevereiro na escola totalmente grátis. Outras informações sobre a ong e o concurso anual pelo website www.usahelp4u.com.

 

Matheus Vídeo 1

 

Matheus Vídeo 2