Estudante Internacional Deve Evitar Usar Benefícios Sociais nos EUA

Estudante internacional deve evitar usufruir de benefícios sociais nos Estados Unidos

Quem usar auxílio moradia ou auxílio alimentação vai ter dificuldades para renovar visto

Texto original

Quando o estudante internacional solicita visto de estudante para os Estados Unidos (F1) e, em alguns casos, solicita o visto de acompanhante para filhos e cônjuges (F2) ele já tem que provar para o consulado que pode se manter nos EUA pelo período solicitado. A diferença é que agora, se o governo americano tiver o registro de que o estudante usou benefícios sociais durante a sua estada nos Estados Unidos, o estudante pode não conseguir renovar seu F1 e F2. A nova regra passa a valer a partir do dia 15 de outubro de 2019.

São considerados benefícios sociais nos Estados Unidos principalmente serviços médicos de longo período às custas do governo e ou assistência financeira (bolsa aluguel, bolsa alimentação).

Recentemente o governo americano publicou a nova versão do ‘public charge rule’ (regra do uso público – em tradução livre). Essa versão atualizada da regra quer pôr ordem nos serviços públicos e manter pessoas fora de situação legal no país e visitantes fora dos benefícios públicos. No meio deste grupo estão os estudantes com visto F1 e seus familiares F2, assim como outros portadores de vistos de trabalho (H1B, H4, L1 e L2) e visto temporário de trabalho o OPT (Optional Pratical Training) e o STEM OPT (Science, Technology, Engineer and Mathematics)

A regra agora é bem clara: e considerado um ‘encargo público’ o visitante que usar quaisquer benefícios público por mais de doze meses em um período total de 36 meses. Quando esses visitantes com visto de estudante ou qualquer outro visto temporário de não imigrante tentar renovar o visto, o governo americano pode negar a extensão ou renovação do visto com base na regra.  

O governo pode também usar a regra antes do estudante sair do país de origem. Antes de emitir o visto, o agente consular americano via pontuar entre fatores positivos e negativos, tais como: idade, estado de saúde, condição familiar, conta bancária, recursos, educação e habilidades. Porém o governo americano continua contando como ponto positivo carta de familiares e ou pessoas interessadas em patrocinar o estudante nos EUA.

Não é novidade que o estudante internacional precisa provar que tem recursos suficientes para se manter nos EUA, a novidade é que agora o governo dos Estados Unidos vai fazer uma pesquisa em seu banco de dados para saber se o estudante usou algum benefício público, qual benefício e por quanto tempo.

O USCIS (United States Citizenship and Immigration Services) também informou que o formulário I-539 mudou. Este formulário é usado por estudantes internacionais quando solicitam a extensão de visto de estudante ou mudança de visto de turista para visto de estudante. O estudante agora precisa informar se usou algum benefício público.  Outro formulário foi incluído na lista de documentos a serem apresentados na solicitação de extensão de visto e ou mudança de visto, o I-944 “Declaration of Self-Sufficiency” (Declaração de Auto-suficiente). Não há taxa para o I-944, mas este formulário tem 19 páginas e pode tomar um bom tempo para ser preenchido.

Vale a pena informar que estudantes que conseguem bolsa de estudos ou pagam taxas mais baixas (in-state tuition) não contam como benefício público. O mesmo acontece para quem usa o plano de saúde patrocinado pela instituição publica de ensino. Caso de desastre natural, quando o governo ajuda a população com dinheiro ou alimento, não estão incluídos na regra como benefício público.

As inscrições para o Concurso 2020 Já Estão Abertas

A escola South Beach Languages oferecerá uma bolsa de curso de inglês em sua unidade em Hollywood (FL).

Leia o edital.

Concurso Oferece Três Bolsas De Estudos Para Brasileiros

Este ano duas escolas estão patrocinando o concurso que está em sua sexta edição

 

O Concurso 2020 da ONG USAHElp4U vai oferecer este ano três bolsas de estudos para cursos de inglês nos Estados Unidos. O período de inscrição vai de 18 de novembro a 10 de janeiro de 2020. Podem participar brasileiros (maiores de 18 anos). O concurso é uma promoção da ONG USAHelp4U – Guia Brasileiro de Intercâmbio – em parceria com as escolas de idiomas – Lingua Language Center e South Beach Languages.

 

Este é o sexto ano que a ONG em parceria com escolas americanas realiza o concurso. Até o momento, o concurso premiou jovens brasileiros da Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Ceará. Para participar, como todos os anos, basta preencher um formulário e responder uma pergunta. Este ano, os participantes precisam responder “What a difference learning English will make in your life?’’

 

As bolsas disponíveis para o Concurso 2020 são as seguintes: Lingua Language Center – bolsas em Fort Lauderdale (FL) e Doral (FL), e South Beach Languages – bolsa em Hollywood (FL).

 

Concurso

Para participar do concurso, aberto somente para brasileiros, o interessado deve preencher um formulário anexado às regras do concurso publicado no http://www.usahelp4u.com/bolsa-de-estudos/contest-rules/. Além de preencher com dados pessoais, o participante precisa responder a pergunta-chave do concurso.

 

Na fase final do concurso, os finalistas devem enviar um vídeo contando sua história. O corpo de conselheiros da ONG, formado por jornalistas e professores, vai escolher a ordem dos vencedores. O resultado será divulgado no dia 8 de fevereiro de 2020. Seguindo a ordem de votação, os vencedores poderão escolher qual bolsa gostariam de ganhar.

 

ONG

A ONG www.usahelp4u.com foi criada em 2013 para concentrar em um só local as principais informações sobre estudos nos Estados Unidos. Todas as informações são oferecidas em português. O website mantém ainda uma lista de escolas de inglês para facilitar a busca por melhores preços e qualidade de ensino de língua inglesa nos Estados Unidos.

 

Contato

info@usahelp4U.com

 

As Inscrições para o Concurso 2020 Já Estão Abertas

As inscrições para o Concurso 2020 já estão abertas.

A escola Lingua Language Center estará oferecendo duas bolsas de curso de inglês, uma em sua unidade Fort Lauderdale (FL) e outra na unidade Doral (FL).

Leia o edital.

Concurso Oferece Três Bolsas De Estudos Para Brasileiros

Este ano duas escolas estão patrocinando o concurso que está em sua sexta edição

 

O Concurso 2020 da ONG USAHElp4U vai oferecer este ano três bolsas de estudos para cursos de inglês nos Estados Unidos. O período de inscrição vai de 18 de novembro a 10 de janeiro de 2020. Podem participar brasileiros (maiores de 18 anos). O concurso é uma promoção da ONG USAHelp4U – Guia Brasileiro de Intercâmbio – em parceria com as escolas de idiomas – Lingua Language Center e South Beach Languages.

 

Este é o sexto ano que a ONG em parceria com escolas americanas realiza o concurso. Até o momento, o concurso premiou jovens brasileiros da Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Ceará. Para participar, como todos os anos, basta preencher um formulário e responder uma pergunta. Este ano, os participantes precisam responder “What a difference learning English will make in your life?’’

 

As bolsas disponíveis para o Concurso 2020 são as seguintes: Lingua Language Center – bolsas em Fort Lauderdale (FL) e Doral (FL), e South Beach Languages – bolsa em Hollywood (FL).

 

Concurso

Para participar do concurso, aberto somente para brasileiros, o interessado deve preencher um formulário anexado às regras do concurso publicado no http://www.usahelp4u.com/bolsa-de-estudos/contest-rules/. Além de preencher com dados pessoais, o participante precisa responder a pergunta-chave do concurso.

 

Na fase final do concurso, os finalistas devem enviar um vídeo contando sua história. O corpo de conselheiros da ONG, formado por jornalistas e professores, vai escolher a ordem dos vencedores. O resultado será divulgado no dia 8 de fevereiro de 2020. Seguindo a ordem de votação, os vencedores poderão escolher qual bolsa gostariam de ganhar.

 

ONG

A ONG www.usahelp4u.com foi criada em 2013 para concentrar em um só local as principais informações sobre estudos nos Estados Unidos. Todas as informações são oferecidas em português. O website mantém ainda uma lista de escolas de inglês para facilitar a busca por melhores preços e qualidade de ensino de língua inglesa nos Estados Unidos.

 

Contato

info@usahelp4U.com

EUA Aumentam Taxas para Visto de Estudante

As novas taxas entram em vigor no dia 24 de junho de 2019

Foto: South Beach Languages. Campus Hollywood. Janeiro 2019. 

Crédito: Joselina Reis

Leia o texto completo e original em inglês

A partir do dia 24 de junho de 2019 quem planeja estudar nos Estados Unidos vai pagar mais caro pelas taxas de visto de estudante. O Departamento de Segurança Nacional (Department of Homeland Security – DHS) divulgou no último dia 22 de maio que vai aumentar as taxas do visto F1, F2 e demais vistos nas áreas para intercâmbio (Exchange Visitors). As taxas estavam inalteradas desde 2008.

As mudanças são as seguintes: vistos F e M passam de $200 para $350; o visto J passa de $180 para $220. O DHS afirmou ainda que as taxas para o formulário I-901 do Sistema de Informação do Serviço de Estudante e Intercâmbio (Student and Exchange Visitor Information System – SEVIS) continuam em $35. O aumento maior foi para o visto F1, utilizado por estudantes de cursos de inglês e universitários, cerca de 75%.

O aumento maior será para a certificação das escolas. Hoje elas pagam $1700 para conseguir a certificação nacional se quiserem receber estudante estrangeiros interessados em visto de estudante. Com o aumento, o valor passa para $3000, reajuste de 77%.

O DHS explicou que o Serviço para Estudante e Intercambistas (Student and Exchange Visitor Program -SEVP) é mantido exclusivamente com as taxas pagas por alunos internacionais e não recebe verba federal. “Essas taxas não são alteradas desde 2008, enquanto isso os custos de manutenção do programa continuam a aumentar devido a inflação, expansão do programa e melhorias tecnológicas do SEVP”, explicou a diretora do programa SEVP, Rachel Canty.

Além do aumento das taxas já mencionado, o SEVP criou novas taxas para as escolas. A partir de agora as escolas que precisarem de recertificação precisam pagar $1250, a outra novidade é a taxa de $675 para escolas que quiseram fazer uma “Nota de Apelo de Decisão” em caso de não serem aprovadas para a certificação e quiserem apelar por uma segunda chance. O DHS também criou uma taxa caso a escola decida mudar de local ou adicionar novo campus, $675.

A nota divulgada pelo DHS informa ainda que estudantes internacionais que já começaram o processo e já pagaram a taxa SEVIS não precisarão pagar a diferença no valor da taxa. Não foram feitas mudanças nos formulários e ou websites onde os estudantes e escolas pagam taxas relacionadas a visto e certificação escolar.

O SEVP é o serviço americano que monitora mais de um milhão de estudantes internacionais com visto F1 e M1, e seus dependes. O departamento é o responsável por garantir que as escolas estejam aptas a receberem alunos internacionais e possam emitir os formulários adequados.

O SEVP também compartilha as informações sobre os estudantes internacionais com outros departamentos do governo americano, tipo Serviço de Cidadania e Imigração (U.S Citizenship and Immigration Services) e Alfândega e Controle de Fronteira (U.S Customs and Border Protection). Em caso de violação das regras do visto de estudante e intercambista, o SEVP comunica à imigração.  

Proibida a reprodução sem citar a fonte do texto e fotos!!!!!!!!!!

Leia o texto completo e original em inglês

Concurso 2019 Premia Cinco Jovens Brasileiros

 

O concurso oferece anualmente bolsas de estudos de cursos de inglês nos Estados Unidos

 

 

O Contest 2019 promovido pela ONG USAHelp4U com patrocínio das escolas Harvest Institute, Lingua Language Center e Mila (Miami International Language Academy) ofereceram ao todo cinco bolsas de estudos de curso de inglês nos Estados Unidos. Mais de 70 pessoas participaram do concurso, sendo a maioria, 53%, formada por mulheres. Os estados com mais participantes foram São Paulo e Minas Gerais, seguidos por Paraná e Rio de Janeiro.

A pesquisa demográfica feito ao final do concurso mostra ainda que a maioria dos participantes, 57% já terminaram de cursar a faculdade e ou estão matriculados em uma universidade.

As bolsas oferecidas pelo Contest 2019 foram as seguintes: Harvest Institute – bolsas em Orlando (FL) e Newark (New Jersey); Lingua Language Center – bolsas em Fort Lauderdale (FL) e Doral (FL), e Mila (Miami International Language Academy) – bolsa em Orlando (FL).

Os vencedores do concurso 2019 foram: Thayná Veríssimo da Silva (Rio de Janeiro), Thais Barros Gomes Da Silva (Rio de Janeiro), Osmar de Oliveira Martins Neto (Ceará), Natasha Drumond Fonteles (Ceará) e Lara Cassol Bainha (São Paulo).

Os ganhadores têm até março de 2020 para usufruir da bolsa. Conheça a abaixo um pouco sobre cada ganhador do Contest 2019.

 

Thayná Veríssimo – A estudante de Engenharia Mecânica da CEFET/RJ planeja fazer a viagem em fevereiro de 2020. Ela ganhou a bolsa oferecida pela Lingua Language Center, em Fort Lauderdale. “As chances de eu fazer o intercâmbio sem a bolsa da USAHelp4U, seriam nulas. Eu e a minha família não teríamos condições financeiras para bancar 100% do intercâmbio”, diz a estudante que planeja ensinar o que aprender durante o intercâmbio na comunidade onde mora.

 

 

 

Thais Barros – A estudante de Engenharia Civil planeja fazer a viagem ainda em 2019. “Eu estava juntando todas as minhas economias desde 2017 para poder realizar esse sonho de fazer um intercâmbio. A bolsa conquistada nesse concurso foi uma benção de Deus para concretização do meu sonho”, afirmou a ganhadora. Ela vai estudar por um mês na Harvest Institute, em Newark, New Jersey. “Se não fosse a bolsa da ONG USAHelp4U com a Harvest, eu demoraria alguns meses ou anos para juntar todo o dinheiro para pagar esse intercâmbio. E na vida tudo acontece uma única vez, logo temos que aproveitar as oportunidades que nos são dadas, por isso me dediquei ao máximo para esse concurso e estou me esforçando ao máximo para aproveitar essa bolsa”, disse entusiasmada.

 

 

 

 

Osmar de Oliveira – “Esse intercâmbio vai me ajudar a aumentar o nível de conhecimento com a língua, aumentando minhas oportunidades de trabalho”, explica o ganhador. Ele vai estudar por um mês na Harvest Institute, em Orlando.

 

 

 

 

 

Natasha Dumond. “Aprimorar meu inglês sempre foi meu objetivo. O inglês é uma língua mundial, e para obter sucesso na minha carreira em Comércio Exterior, eu preciso aprender mais. Além disso, saber falar inglês traz facilidade na hora de comunicar com o mundo todo. É também uma realização pessoal, sempre fui muito esforçada para aprender a língua inglesa”, comenta a estudante cearense. Natasha vai estudar na Mila International, em Orlando.

 

 

 

Lara Bainha – “Os valores de intercambio são muito altos, dificultando as chances de uma viagem. Mas com a ajuda da ONG USAHelp4U esse sonho esta cada vez mais perto de tornar uma realidade”, disse. Lara terminou o ensino médio recentemente e planeja estudar psicologia para trabalhar com crianças e adolescentes. Lara foi a ganhadora da bolsa oferecida pela Lingua Language Center, em Doral, Florida.

 

 

Concurso

Para participar do concurso, aberto somente para brasileiros, o interessado deve preencher um formulário anexado às regras do concurso. O próximo concurso será realizado em dezembro de 2019 e o edital será publicado no www.usahelp4u.com/bolsas de estudos. Outras informações pelo e-mail info@usahelp4u.com e ou nas redes sociais da ONG.

 

Ganhadora do Concurso 2018 já está na Flórida

Jackeline Faco, de Fortaleza, Ceará, já está na Flórida. A brasileira é uma das ganhadoras do concurso 2018 de bolsas de estudos. Ela ganhou a bolsa patrocinada pela escola Lingua Language Center, em Fort Lauderdale, Flórida. O concurso é promovido anualmente pela ong USAHelp4U com patrocínio de escolas de inglês nos Estados Unidos. Na foto, Jackie foi recebida no seu primeiro dia de aula pelos diretores da escola: Angela Lucena e Erwin Richter. Outras informações sobre a ong e o concurso anual pelo website www.usahelp4u.com.

Acompanhe outras fotos da Jackie no Instagram da #USAHelp4U

 

 

 

 

Jackie – Video 1

 

Jackie – Video 2

 

Jackie – Video 3

 

Estados Unidos Precisam de 60 mil Motoristas de Caminhão

A vida pelas estradas não é fácil, mas o salário inicial pode ser de $60 mil dólares (aproximadamente R$220 mil reais por ano*)

texto original

Foto:J.Reis.

A Associação Americana de Motoristas acredita que os Estados Unidos precisam de pelo menos 60 mil motoristas de caminhão para início imediato. A demanda é grande, e autoridades acreditam que em poucos anos este número chegue a 100 mil. Com a baixa procura pelas vagas, empresas americanas estão aumentando os salários e os benefícios como plano de aposentadoria privada (401k), plano de saúde e outros atrativos. O problema com a categoria começou a se agravar com a aposentadoria de centenas de motoristas nascidos entre as décadas de 40 e 60 (os chamados baby boomers) e a falta de incentivo para atrair os mais jovens, mulheres e a comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros).

Pelo menos as mulheres já se organizaram para assumir parte das vagas. A organização Women in Trucking (Mulheres em Caminhão) foi criada há dez anos para incentivar a presença de mulheres atrás do volante dos grandes caminhões que atravessam os 50 estados americanos. A organização está na luta por mais segurança em postos de paradas em território americano para que a profissão possa atrair mais motoristas do sexo feminino.

Enquanto as vagas não são preenchidas, a Associação Americana de Motoristas vê uma crise do setor. “Nos Estados Unidos, o trabalho do motorista de caminhão é essencial para manter o crescimento da indústria e para toda a sociedade”, diz preocupado Todd Spencer, presidente da Associação de Motoristas Independentes. 

Com pouco motoristas dispostos a encarar as rodovias, as empresas estão desesperadas e começam a elevar salários o máximo que podem. Bob Costello, economista da Associação Americana de Motoristas e Gordon Klemp, presidente do Instituto Nacional de Transporte, acreditam que só em 2018, a categoria conseguiu um aumento de 10% no holerite (pay check), mas a categoria quer mais que um bom salário.

Os motoristas podem escolher entre empresas que oferecem mais benefícios. Somente o salário, que geralmente é por quilômetro rodado, não é suficiente. Eles avaliam com cuidado os contratos de trabalho antes de assinarem e preferem aquelas empresas que ofereçam bônus se o motorista indicar um colega para uma vaga e até pagam mensalidade de faculdade online. A próxima exigência da categoria é pagamento pela hora parada nos portos, um problema que muitos enfrentam.

Enquanto isso, as empresas buscam novos funcionários da melhor maneira possível. É muito comum as empresas estamparem anuncio de vagas em seus próprios caminhões.

*câmbio 02/11/2019 – R$3.74